Alunos do interior da Paraíba praticam Futebol Americano
Foto: Escola Almirante Antonio Heráclito do Rêgo

Alunos do interior da Paraíba praticam Futebol Americano

Alunos do interior da Paraíba praticam Futebol Americano

 Por Ney Felipe

Que o Futebol Americano conquista cada vez mais fãs no nosso país não é novidade. Mas alunos de uma escola na cidade de Barra de Santana, interior da Paraíba, praticando o esporte ... Ah, isso sim é novidade!

Barra de Santana é uma pequena cidade ao leste do território paraibano. Segundo o IBGE, a população tem cerca de 8.300 habitantes. O município fica a 176km da capital do estado, na região metropolitana de Campina Grande. Já se situou? Então vamos de falar de Futebol Americano!

Nesta cidade, encontramos Arthur da Silva Barbosa, 27, professor de educação física na Escola Estadual Almirante Antônio Heráclito do Rêgo, que leciona no Ensino Fundamental e Médio.

Arthur é um fã incondicional de Futebol Americano. Desde cedo começou a pesquisar como poderia inserir a prática do futebol americano em suas aulas. Após a busca de informações para adaptar a sua realidade, viu na modalidade Flag Football uma grande oportunidade.

“Tudo começou em 2014, eu acompanhava Futebol Americano e resolvi pesquisar um jeito de inserir o jogo em minhas aulas. Descobri o Flag e resolvi levar a ideia para os alunos que compraram a ideia e começamos a praticar.” Conta Arthur.

ArthurFigura 1 - Arthur da Silva Barbosa, 27 anos (Foto: Acervo Pessoal)

O Flag Football é uma modalidade do futebol americano e suas regras básicas são similares ao praticado com todos os equipamentos, como vemos na TV. A principal mudança é que em vez de derrubar o jogador com a bola ao chão, o defensor deve retirar uma fita, chamada de flag, para parar as jogadas.

O professor então começou a inserir a modalidade em suas aulas na escola estadual da cidade e apresentou o esporte aos alunos.

“Comecei com uma turma do 9° ano e a molecada gostou. Eles foram a primeira turma, depois comecei a passar para as outra também. A medida que eles iam se interessando pelo jogo, eu ia tentando dar mais dinâmica ao esporte.” Lembrou o professor.

O esporte não parou só nas aulas. Em 2016, o Flag Football passou a integrar os jogos internos da escola. A data foi marcada pela ilustre presença da equipe de futebol americano do Tropa Campina, que fez uma apresentação na escola.

“Desde 2016, a modalidade de Flag Football faz parte dos jogos internos. Todas as turmas participam, e inclusive, contamos com equipes femininas e masculinas. O mais interessante é que no caso das equipes femininas, sempre contamos com no mínimo dois times.” Disse Arthur.

Foi realizado um amistoso com a equipe sub-20 do Tropa Campina, equipe campeã da Liga Nordeste em 2016, com a intenção de trazer um intercâmbio e um aprendizado mais sólido sobre o esporte, envolvendo nossos alunos com a dinâmica de jogo de uma equipe mais experiente.

“Eu tenho uma amizade muito grande com um dos diretores do Tropa, então fizemos este jogo, no final do ano passado, para incentivar ainda mais os garotos. No começo passei uma lista e 42 alunos se inscreveram. Decidimos fazer um uniforme para organizar melhor a equipe. Porém, quando tivemos o orçamento em mãos, somente vinte participaram. Acredito que o motivo seja que a maioria dos alunos sejam  mais carentes e morem na zona rural.” Contou.

24958672_1632169390177807_5635042379503309023_oFigura 2 - Alunos da Escola Almirante Antônio Heráclito do Rêgo, na partira contra a equipe sub-20 do Tropa Campina. (Foto: Facebook / Reprodução)

O Time batizado pelos alunos de "Admirals", ou traduzindo, Almirantes, enfrentou a equipe de Campina Grande mesmo diante das dificuldades.  O evento ficou conhecido como Cariri Bowl, mas apesar da derrota, os Admirals apresentaram uma boa performance. A partida terminou em 44 a 24 para o Tropa Campina. Confira abaixo o primeiro Touchdown marcado pela equipe de Barra da Santana:

Um passado de dificuldades, Um futuro de esperança

Todo projeto possui dificuldades, mudanças de rota e problemas no percurso. O professor e idealizador do projeto precisou superar diversos obstáculos mas nunca pensou em desistir.

“No primeiro momento, a maior dificuldade foi a aceitação dos alunos em praticar um esporte novo e diferente, sendo eles habituados à prática do futebol. Foi um desafio muito grande convencer os estudantes toparem essa proposta. Porém, mesmo relutantes, os meus alunos sempre aceitam meus desafios. Depois foi alinhar o conteúdo de sala de aula e prática, a proposta pedagógica da disciplina. Felizmente, essa parte foi mais fácil do que eu esperava. Por último, um grande desafio foi conseguir colaboradores para ajudar a escola a realizarem eventos que tinham como carro-chefe o Flag. Contudo, graças a credibilidade que adquiri ao longo do tempo, pude realizar um evento exclusivo de Flag na escola, com direito a troféu e medalhas personalizadas e um desafio de Flag contra a equipe Tropa Campina.” Contou.

Segundo o professor, o primeiro e maior benefício é a integração de todos os alunos ao participarem de uma mesma atividade. Ainda segundo ele, os alunos passaram a participar de maneira mais efetiva de suas aulas, assim  recomenda a modalidade como fonte de aprendizado para outras escolas.

O principal objetivo é proporcionar às crianças e adolescentes uma experiência excepcional e gerar novas oportunidades. 

Arthur Barbosa  / Professor de Educação Física

“Hoje tenho maior parte do alunado da escola que participa integralmente das aulas de Flag, somado a participação efetivas dos eventos da modalidade. E além disso, não somente aconselho outras escolas realizarem esta prática, como já estou me reunindo com outros profissionais da área para fomentar o Flag Football, buscando assim, o desenvolvimento da prática do esporte, bem como crescimento do número de praticantes. Dessa forma, criar oportunidade de novas competições entre escolas, tornando o esporte uma ferramenta social importante.” Acrescentou o professor.

Arthur, ainda cita que a capacidade do Flag Football de abranger todos os tipos físicos e habilidades e que um bom trabalho realizado por profissionais de educação física, podem transformar o Flag Football um método de engajamento esportivo no âmbito escolar. Por fim, quando questionado sobre o retorno que o esporte trouxe a sua pessoa, ele diz:

“O maior retorno que tive é ver que meus alunos gostam do que fazem. Me estimulam a cada dia a continuar com as aulas sobre o Flag. Além do mais, vejo neles o anseio de desenvolverem, para competir na modalidade de futebol americano com equipamento completo. Quanto ao retorno financeiro, não tive nenhum. Entretanto, isso é algo que não foi minha prioridade quando iniciei a ideia de levar o Futebol Americano na escola.”

Logo, para a comunidade, e quem sabe, até possíveis investidores do projeto, o recado de Arthur é simples:

“Acreditem que o trabalho que está sendo desenvolvido é sério. O principal objetivo é proporcionar às crianças e adolescentes uma experiência excepcional e gerar novas oportunidades. Fazer com  que eles conheçam um esporte novo e quem sabe em um futuro próximo, que eles criem perspectivas não consideradas anteriormente.” Conclui.

 

Confira abaixo algumas imagens cedidas da equipe:

24958634_1632122573515822_1366083339436418900_o24958672_1632169390177807_5635042379503309023_o24958634_1632122573515822_1366083339436418900_o24958903_1632138986847514_4317820624736505107_o24959028_1632217210173025_2475846484857764071_o25073270_1632152750179471_6584559950922196716_o25182060_1632190160175730_4489933998589834135_o24959028_1632217210173025_2475846484857764071_o25299662_1632153720179374_3604410557609955999_o